Violência contra a mulher: Campanha de Damares é limitada e ineficaz

Focada apenas na denúncia, campanha lançada pelo governo federal não apresenta conjunto de políticas que permitam retirar as mulheres de uma situação de violência, em segurança
denuncias-de-violencia-contra-mulheres-aumentaram-35-em-abril-diz-damares-1589579510-720x440

Na última sexta-feira, a ministra Damares Alves lançou a campanha do governo federal que visa combater a violência doméstica, principalmente durante a pandemia. Focada apenas na promoção de denúncias, a campanha genérica encabeçada pelo Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos não apresenta um conjunto de políticas integradas visando a proteção de mulheres, crianças e até idosos em situação de violência. 

“A denúncia é importante, é o primeiro passo. Mas não basta. Essa denúncia vai ser encaminhada para onde? Vai ter investigação? Se tiver abordagem, como será feita? É preciso um conjunto de políticas na área de segurança públicasaúdeeducação e até proteção econômica para atacar esse problema”, explica Anne Moura, secretária nacional de mulheres do PT

De acordo com os dados do próprio governo federal, houve um aumento de 35% das denúncias no Disque 180, voltado para violência contra as mulheres, mas não teve posicionamento da ministra sobre os encaminhamentos e os próximos passos no sentido da proteção das denunciantes. Os dados do mesmo Ministério também revelam que 90% das vítimas de violência doméstica são mulheres. 

Além disso, o Brasil tem o quinto maior índice de homicídio de mulheres no mundo, são  4,8 homicídios para cada 100 mil mulheres.  A maioria dos crimes é cometida dentro de casa, por pessoas próximas às vítimas. Apesar desse quadro alarmante do feminicídio brasileiro, a ministra Damares Alves afirma que ‘violência doméstica não tem gênero’. 

“É uma completa desinformação sobre a realidade das famílias brasileiras. O negacionismo científico leva à elaboração de políticas públicas ineficazes e improdutivas, deixando a população que mais precisa do Estado desprotegida”, afirma Anne. 

Então, o que fazer?

O PT possui um Núcleo de Acompanhamento de Políticas Públicas para Mulheres que elaborou um conjunto de medidas importantes para proteger as mulheres da violência doméstica, em tempos de pandemia. 

Acesse aqui. 

Canais de denúncia:

Está em perigo imediato?

Ligue 190 – Polícia Militar

Quer denunciar uma situação?

Ligue 180 – Violência Contra a Mulher

Ligue 100 – Violação de Direitos Humanos (violência contra mulher, idoso, criança, pessoa com deficiência, racismo, xenofobia, etc)

Ou procure a Defensoria Pública de seu estado.

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp
Coordenação CNB

Coordenação CNB

www.construindoumnovobrasil.com.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Relacionados

Curta nossa página

Dialogo com a CNB

Noticias Recentes

Partidos de oposição repudiam conteúdo de reunião e nota de Heleno

As Bancadas dos partidos de oposição na Câmara dos Deputados – PT, PCdoB, PSOL, PSB, PDT e Rede – manifestam seu veemente repúdio ao conteúdo de vídeo de reunião ministerial do governo Bolsonaro, bem como à nota divulgada pelo general Augusto Heleno, com um ataque inaceitável ao Supremo Tribunal Federal.

Lula Livre

Leia Também