Ato pela democracia é reprimido pela PM de Alckmin em SP

Manifestação contra o impeachment da presidenta Dilma levou 15 mil pessoas à avenida Paulista; PM usou bombas de gás para dispersar o protesto...

Nesta segunda-feira (29), data em que a presidenta Dilma Rousseff foi ao Senado para explicar que impeachment sem crime de responsabilidade é golpe, manifestantes se reuniram na avenida Paulista para fazer um ato em defesa da democracia e contra os retrocessos do governo interino de Michel Temer.

Com cerca de 15 mil pessoas, o protesto conseguiu caminhar da Praça do Ciclista, perto da avenida da Consolação, até o vão do Museu de Arte de São Paulo (MASP), a cinco quadras de distância. Lá, policiais militares atiraram bombas de gás lacrimogêneo para impedir que a marcha seguisse no sentido Paraíso, onde começa a avenida.

Foto: Paulo Pinto/Agência PThttp://www.pt.org.br/wp-content/uploads/2016/08/whatsapp-image-2016-08-29-at-19-23-14-400x197.jpeg 400w, http://www.pt.org.br/wp-content/uploads/2016/08/whatsapp-image-2016-08-29-at-19-23-14-768x378.jpeg 768w, http://www.pt.org.br/wp-content/uploads/2016/08/whatsapp-image-2016-08-29-at-19-23-14.jpeg 1280w" sizes="(max-width: 780px) 100vw, 780px" style="box-sizing: border-box; margin: 0px; padding: 0px; border-style: none; max-width: 100%; vertical-align: bottom; height: auto; width: 779.984px;">

Foto: Paulo Pinto/Agência PT

Convocado pelas Frente Povo Sem Medo e Frente Brasil Popular, o ato reuniu lideranças sindicais, membros de movimentos sociais e partidos políticos progressistas que condenam o afastamento de Dilma, além de militantes independentes, incluindo crianças e idosos.

A repressão da Polícia Militar (PM) começou por volta das 19h. Embora não esperassem pelas bombas de gás lacrimogêneo, os manifestantes não se dispersaram. Aos gritos de “ Fora Temer“, concentraram-se na avenida. A PM atirou mais bombas, inclusive em diversos pontos da via. O ato estava se dispersando em direção à avenida da Consolação quando duas viaturas da Tropa de Choque chegaram.

Foto: Paulo Pinto/Agência PThttp://www.pt.org.br/wp-content/uploads/2016/08/fora-temer-av-paulista-sao-paulo-dia-29-agosto-foto-paulopintoagenciapt-4-400x266.jpeg 400w, http://www.pt.org.br/wp-content/uploads/2016/08/fora-temer-av-paulista-sao-paulo-dia-29-agosto-foto-paulopintoagenciapt-4-768x511.jpeg 768w, http://www.pt.org.br/wp-content/uploads/2016/08/fora-temer-av-paulista-sao-paulo-dia-29-agosto-foto-paulopintoagenciapt-4-585x390.jpeg 585w, http://www.pt.org.br/wp-content/uploads/2016/08/fora-temer-av-paulista-sao-paulo-dia-29-agosto-foto-paulopintoagenciapt-4.jpeg 1280w" sizes="(max-width: 780px) 100vw, 780px" style="box-sizing: border-box; margin: 0px; padding: 0px; border-style: none; max-width: 100%; vertical-align: bottom; height: auto; width: 779.984px;">

Foto: Paulo Pinto/Agência PT

Alguns participantes do protesto seguiram para a Praça Roosevelt, enquanto outros conseguiram deixar a marcha pelas ruas dos bairros vizinhos.

O ato havia sido convocado uma semana atrás com objetivo de denunciar o golpe em curso no país contra a presidenta e também contra os mais de 54 milhões de votos recebidos por ela nas eleições de 2014. Cartazes de “Volta, Querida”, “Nenhum direito a menos” eram comuns por toda avenida.

Pela manhã, movimentos sociais, lideranças políticas e defensores da democracia foram à Praça do Ferreira, no centro deFortaleza (CE), para apoiar Dilma. Manifestantes também foram à porta do Congresso Nacional e às ruas de outras cidades do país, como Porto Alegre e Rio de Janeiro.

Também na segunda-feira, artistas e intelectuais mostraram apoio a Dilma.
Nas redes sociais, a hashtag #PelaDemocracia ficou em primeiro lugar no trending topics do Twitter, sendo o assunto mais comentado pelos internautas. Na mesma rede, o termo ‘Dilmãe’ alcançou a sexta colocação. Militantes contra o golpe também realizaram tuitaço com a hashtag #DilmaÉinocente.

Por Daniella Cambaúva da Agência PT de Notícias.

Coordenação

Construindo Um Novo Brasil.

Website: construindoumnovobrasil.com.br/

É uma corrente interna do PT, da qual fazem parte alguns dos principais ministros do nosso governo e o próprio Luiz Inácio Lula da Silva, entre outros quadros importantes. A corrente nasceu em 1983, a partir do Manifesto dos 113, que buscou organizar o grande número de militantes...