Golpe é divisor de águas para as próximas gerações, alerta Boulos

Em Fortaleza, coordenador do MTST afirma que “Temer é o presidente mais perigoso para os trabalhadores e pobres desde a Nova República”

“Esse golpe vai ser lembrado daqui a algum tempo como um divisor de águas”. A afirmação foi feita pelo coordenador do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), Guilherme Boulos, em evento realizado nesta quarta-feira (13) no Sindicato dos Servidores e Empregados Públicos do Município de Fortaleza (Sindifort), em Fortaleza (CE).

Durante o ato, Boulos explicou o caráter maléfico do golpe contra a presidenta eleita  Dilma Rousseff para as próximas gerações.

“A gravidade do que está em jogo vai muito além da retirada de uma presidenta eleita pelo povo. Mais do que o golpe em si, o que vamos sofrer é o programa do golpe. Se for aplicado do jeito que eles querem, vai afetar a todos nós e às próximas gerações”.

Boulos

Em sua análise, Boulos explicou que, caso o impeachment se consume no Senado, o presidente golpista  Michel Temer vai esperar as eleições municipais para atuar em duas frentes: o desmonte da Consolidação das Lei do Trabalho (CLT) com a generalização das terceirizações e a imposição do negociado sobre o legislado.

“Não à toa, o ministro interino da Casa Civil, Eliseu Padilha, disse claramente que o centro da reforma trabalhista que eles querem são esses dois programas. Sob o negociado sob o legislado, o empregador vai poder negociar férias, décimo terceiro salário, licença maternidade… É algo de uma gravidade inédita”.

O governo golpista pretende também, de acordo com o coordenador do MTST, acabar com a rede de proteção social garantida pela Constituição de 1988.

Para Boulos, o governo Temer é o mais perigoso para os trabalhadores e para os pobres do Brasil desde a Nova República. O motivo, ao seu ver, é simples: é conservador, não foi eleito pelo povo e não pretende se reeleger.

“Um governo eleito, mesmo sendo da direita, faria cálculos políticos e eleitorais antes de tomar certas medidas. O Temer, não, ele não pretende se reeleger. Ele pode fazer um programa social muito duro e não pagar por isso. Esse é o grande diferencial do governo Temer”.

Por Bruno Hoffmann, de Fortaleza, para a Agência PT de Notícias

Coordenação

Construindo Um Novo Brasil.

Website: construindoumnovobrasil.com.br/

É uma corrente interna do PT, da qual fazem parte alguns dos principais ministros do nosso governo e o próprio Luiz Inácio Lula da Silva, entre outros quadros importantes. A corrente nasceu em 1983, a partir do Manifesto dos 113, que buscou organizar o grande número de militantes...