Eleições: artistas e intelectuais pedem voto em nome da civilidade

 

Wagner Moura, Beth Carvalho, Camila Pitanga e Bruno Garcia e outros signatários pedem um voto “na civilidade, no respeito pelas pessoas, pelo que é diferente”....

 

Dezenas de atores, músicos e intelectuais divulgaram neste sábado (13) um manifesto sobre este segundo turno das eleições. Nomes como Letícia Sabatella, Wagner Moura, Beth Carvalho, Camila Pitanga e Bruno Garcia pedem e um voto “na civilidade, no respeito pelas pessoas, pelo que é diferente”.

O texto critica a onda de ódio que tem gerado uma série de atos de violência política a no país, impulsionada por Bolsonaro, e se afirma em defesa de temas tratados de modo preconceituoso pelo candidato, como o respeito “a cada região do País” e “respeito ao povo quilombola e seus territórios”.

“Também votaremos na educação, na saúde, no salário mínimo digno, no décimo terceiro salário, nas férias remuneradas, na convivência pacífica entre os brasileiros. Também somos contra a corrupção, mas de todas as formas”, diz outro trecho do texto.

Leia na íntegra:

Votamos na Civilidade

Vamos votar na civilidade, no respeito pelas pessoas, pelo que é diferente. Também votaremos na educação, na saúde, no salário mínimo digno, no décimo terceiro salário, nas férias remuneradas, na convivência pacífica entre os brasileiros.

Também somos contra a corrupção, mas de todas as formas, inclusive de todos os partidos e pessoas envolvidas, mas também contra a corrupção dos bilhões de reais nos paraísos fiscais do mundo, na sonegação de impostos, na subtração dos direitos trabalhistas e previdenciários. Somos contra a corrupção, mas também contra a hipocrisia.

Votamos no respeito e no diálogo entre as diferenças, na convergência saudável, no equilíbrio, na democracia. Por isso, repudiamos a tortura, a discriminação racial, sexual e o armamentismo da população. Igualmente repudiamos a indústria armamentista que banca candidatos, mas que ganha fortunas vendendo armas e pondo a vida do povo em verdadeira situação de guerra civil.

Repudiamos as agressões de todos os tipos, inclusive o assassinato de pessoas por diferenças políticas, como acaba de acontecer na Bahia, com o assassinato do capoeirista Moa do Katendê.

Queremos a preservação de nossos biomas, nossa biodiversidade, começando pela Amazônia, decisiva para o ciclo de nossas águas, inclusive pelas chuvas que irrigam todo o Brasil, chegando até os estados do Sul, como Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, indo inclusive até o Uruguai, Paraguai e Argentina. Sem as chuvas dos rios voadores amazônicos o Sul e o Sudeste viram um deserto. A natureza é solidária, nós podemos ser também.

Votamos pelo respeito ao povo quilombola e seus territórios, indígena e seus territórios e respeitamos todo o povo brasileiro, porque nossa variedade é uma riqueza e não um problema.

Por isso votamos nos programas sociais, nos programas de água, nos programas de energias limpas, na revitalização de nossos rios, na convivência com o Semiárido.

Respeitamos cada região do país, com seu jeito, seu tipo físico, sua cultura. Se soubermos conviver, teremos um imenso e feliz país.

Enfim, votamos na civilidade.

Leticia Sabatella

Roberto Malvezzi

Maria Clara Spinelli

Martha Nowill

Arrigo Barnabé

Fernando Alves Pinto

Flávia Lacerda

Luciana Pessanha

Karine Carvalho

Alcides Nogueira

Petra Costa

Wagner Moura

Pastor Henrique Vieira

Paulo Lins

Joelson Medeiros

Malu Valle

Teresa Cristina

Ali Muritiba

Elisa Lucinda

Luisa Lima

Olivia Byington

Chandelly Braz

Humberto Carrão

Zezé Polessa

Beth Carvalho

Bruno Garcia

Zezé Polessa

Hique Gomes

Maria Casadevall

Sophie Charlotte

Dira Paes

Gisele Fróes

Ana Cañas

Lira

Carlos Walter Porto Gonçalves

Camila Pitanga

Heloisa Averbuck

Kenarik Boujoukian

Monique Gardemberg

Coordenação

Construindo Um Novo Brasil.

Website: construindoumnovobrasil.com.br/

É uma corrente interna do PT, da qual fazem parte alguns dos principais ministros do nosso governo e o próprio Luiz Inácio Lula da Silva, entre outros quadros importantes. A corrente nasceu em 1983, a partir do Manifesto dos 113, que buscou organizar o grande número de militantes...