Deputados no PR: “Lula tá preso pra não revogar ataque ao povo”

 

Com presença histórica das sete centrais sindicais do país, lideranças da esquerda elogiam resistência em defesa da liberdade do ex-presidente Lula...

 

Desde as primeiras horas da manhã deste 1º de Maio, Curitiba está tomada por manifestantes de várias partes do Brasil. Ao lado mais de 15 mil pessoas, parlamentares do PT e líderes sindicaisderam início ao ato em defesa da liberdade do ex-presidente Lula e também para rechaçar o desmonte da soberania nacional e dos direitos do trabalhadores e trabalhadoras  comandado pelo golpista Michel Temer.

A primeira a se pronunciar foi a deputada federal Benedita da Silva (PT-RJ) com discurso em que reforça a importância em manter o povo nas ruas. “Trabalhadores e trabalhadoras se unem para pedir numa só voz: Lula Livre.

“Este não é o lugar que ele deveria estar. Só está preso porque não admitem que Lula esteja em primeiro lugar nas pesquisas e também porque irá revogar tudo o que eles fizeram de ruim para o povo brasileiro”.

Benedita também lembrou dos verdadeiros motivos que resultaram na prisão política de Lula.  “Eles não concordam que existam partidos políticos de esquerda. Eles não concordam que um torneiro mecânico tenha governado este país com tanta dignidade. Hoje nos reunimos aqui não para trazer o nosso bom dia. Estamos sendo aquilo que ele pediu: sendo as suas vozes”.

Em seguida, o líder do PT na Câmara, deputado Paulo Pimenta (PT-RS), fez questão de reverenciar as sete centrais sindicais que se uniram para a realização do ato em Curitiba. “É um dia histórico para o Brasil e o mundo. As sete centrais sindicais aqui reunidas pela primeira vez desde redemocratização unificada do primeiro de maio. E o nome desta unidade é Lula.”

“O ex-presidente se filiou ao sindicato dos metalúrgicos há 50 anos. Este será a primeira vez que o dia do trabalhador não tem o ex-presidente Lula ao nosso lado no palanque. Mas ele pediu para que a gente se tornasse a voz dele e é isso que nós estamos fazendo”.

Pimenta ainda elogiou a Vigília Lula Livre. “O presidente Lula fica esperando o nosso bom dia, boa tarde, boa noite. Ele vibra com cada companheiro e companheira que vêm aqui. Este país só vai voltar a ter estabilidade quando existir eleições livres. Esta farsa Jato não me engana. Ela atende a muitos interesses inclusive de fora do Brasil”.

A deputada federal Jandira Feghali (PCdoB-RJ) acredita que Lula seja o símbolo deste primeiro de maio. “Lula está preso não porque é um bandido. Ele está preso porque ele representa toda a nossa luta. Ele está preso porque nas eleições ele será o presidente do Brasil”.

O deputado federal Marco Maia (PT-RS) corroborou com a ideia da parlamentar “O grande objetivo deste 1º de maio unificado é a liberdade daquele que foi o maior presidente da história do país que é Luiz Inácio Lula da Silva. Esta elite brasileira não pode por esperar porque vamos tirar Lula daqui e vamos levar lá para o Palácio do Planalto para ser novamente o presidente do Brasil. Vamos continuar a luta e resistência porque eles mexeram com quem estava quieto.

Para o deputado federal Elvino Bohn Gass (PT-RS): “só tem uma pessoa que pode tirar o Brasil desta situação e o nome dele é Lula. O Brasil precisa voltar a ser soberano. Não podemos deixar que aconteça este desmonte que estão fazendo no país. Enquanto os fascistas atiram pedras o povo carrega em suas mãos a esperança e a esperança é Lula livre”.

O deputado federal Waldenor Pereira (PT-BA) acredita que não haja um cidadão ou cidadã deste país que não reconheça que a chegada de Lula à presidência representou um novo limiar na história do país. “Com a ajuda dele também derrubamos na Bahia o último dos coronéis deste país”, afirmou.

A deputada federal Margarida Salomão (PT-MG) lembrou do pedido do ex-presidente antes de se tornar preso político.  “Estamos aqui como seus olhos, suas pernas, seus braços e temos uma boa notícia: Curitiba está pintada de vermelho. A coisa mais impressionante e comovente aqui nesta manhã é o amor de todos nós pelo presidente Lula”.

Para o deputado federal Pedro Uczai (PT-SC) Lula é a síntese da vida e da história de todos que sonhavam com um país melhor. “Por isso a liberdade de Lula é a sua liberdade, é a liberdade do seu filho, é a liberdade da democracia. Foi num primeiro de maio que nasceu o maior líder sindical e político que este país já teve”.

O deputado federal Valmir Assunção (PT-BA) concorda. “Lula, o maior líder do nosso país, porque a justiça pelas mãos de Moro o persegue. Por isso nós só temos um caminho: lutar, lutar e lutar pelos nossos direitos e ela liberdade de Lula. A liberdade do ex-presidente significa unir a esquerda contra este projeto que tem acabado com o país”.

Opinião semelhantes tem o deputado federal Luiz Sergio (PT-RJ).“Cada um que veio a Curitiba vai voltar para a sua cidade vai voltar energizado. E espero que cada um leve a chama que vai se transformar numa grande fogueira que irá aquecer a luta por Lula livre. O povo brasileiro está gritando em alto e bom som que quer o ex-presidente como candidato nas eleições”.

O coordenador do Plano Lula de governo e ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad lembrou do fato que a maioria da população brasileira está ciente de que tirar Lula das eleições é injusto: “Hoje, já existe uma consciência cada vez maior de que toda essa manobra é para tirar o Lula da disputa das eleições de 2018. Depois de tudo o que falaram, de tudo o que fizeram, de tudo que o Jornal Nacional tentou fazer, por que privar o trabalhador de poder escolher o seu candidato? Se perguntar para os brasileiros se eles acham que é justo tirar Lula do páreo 70 por cento da população acha errado. Talvez não haja caso similar ao do ex-presidente no mundo.”

“Nós temos a possibilidade de acabar este plano de governo que a maioria do povo brasileiro não escolheu com Lula presidente em 2018”, concluiu Fernando Haddad.

Da Redação da Agência PT da Notícias

Coordenação

Construindo Um Novo Brasil.

Website: construindoumnovobrasil.com.br/

É uma corrente interna do PT, da qual fazem parte alguns dos principais ministros do nosso governo e o próprio Luiz Inácio Lula da Silva, entre outros quadros importantes. A corrente nasceu em 1983, a partir do Manifesto dos 113, que buscou organizar o grande número de militantes...